09 março 2010

8 razões para abandonar de vez seu antigo e cansado Windows XP

É preciso encarar o fato de que o Windows XP já tem nove anos de idade, o que é uma eternidade no mundo dos computadores. Já está na hora de sua aposentadoria compulsória, e se você precisa de alguns motivos extras para deixá-lo aqui estão algumas dicas neste sentido:

 

Num país onde a pirataria corre solta como o Brasil, talvez o que diremos a seguir não faça sentido, mas para quem gosta de ter suas coisas em ordem fará. É o seguinte: não existe mais o Windows XP para venda, se você quiser utilizá-lo terá que usar uma cópia antiga ou apelar para a pirataria. O que se encontra nas lojas e nos micros novos é o Windows 7 e mais cedo ou mais tarde teremos que conviver com ele em nossas atividades. Assim, o quanto antes você começar mais cedo começará a tirar proveito das vantagens que um novo micro e um novo Windows trará. Para ajudá-lo a tomar a decisão de mudar, mostraremos alguns pontos onde o XP mais claramente mostra sua idade:
1 - O XP ficou defasado
Antigamente diríamos “fique com o que você já conhece, mesmo que atrasado”, mas hoje esta rima mudou. A frase acima pode até chocar alguns, mas o fato é que o XP já mostra o sinal da idade, até porque a Microsoft deixou de investir no XP desde 2006, quando preparava o lançamento do Vista. Aquela interface azul tão conhecida já foi revolucionária, fantástica. Mas agora ela já parece antiquada e, felizmente, mesmo mudando para interface Aero e suas transparências estonteantes e uma maior precisão nas letras, você não precisará aprender nada totalmente novo ou que tome mais do que uns 15 minutos de seu tempo.
2 - Melhor suporte ao hardware moderno, com mais segurança e estabilidade
Windows 7 vem com muito mais drivers de hardware atuais, para oferecer suporte aos novos e poderosos dispositivos de hardware, como redes wireless, placas de vídeo e monitores gigantes.
As placas de vídeo novas, em especial, quando ligados aos espetaculares monitores de 24 ou 32 polegadas existentes atualmente, a um preço acessível, são um enorme diferencial do Seven em relação ao XP. Claro que muito disto também roda no XP, mas os efeitos visuais do novo Windows são incomparáveis, além de muito úteis. Quem gosta de jogos, então, poderá tirar proveito também das novas placas de som, juntamente com a nova versão de DirectX que serão obrigatórias nos lançamentos por vir.
O novo formato dos drivers usado no Vista e no Seven melhorou muito conjunto do sistema, apesar de ser indigesto para alguns, que tiveram que sucatear aparelhos ainda bons. Mas as mudanças foram feitas para aumentar a estabilidade e a segurança, o que é bom para cada um de nós e para a sociedade como um todo, cada vez mais interligada pela internet.
3 - O preço do Windows diminuiu
O Windows XP era caro em seu tempo, mas pelo o que ele oferecia naquele tempo de vacas gordas era considerado “um mal necessário”. Na mesma linha de pensamento, o Vista parecia ruim em termo de custo, por isto a Microsoft revisou suas versões e preços, de forma que o Windows Seven custa menos, proporcionalmente, do que o XP custava em seu tempo. Certo, sempre existe a possibilidade das copias genéricas, mas no caso do Seven os sistemas de ativação pirata escondem grandes riscos de segurança que as empresas não podem correr. Quem garante que aquele programinha baixado da internet e que promete validar uma cópia pirata do Windows não traz embutido um worm ou spyware, que possa comprometer toda a segurança dos dados? É melhor comprar um micro que já venha com o Seven de fábrica, ou então comprar suas cópias a prestação, em até 12X sem juros. Todos agradecerão, em nome da segurança coletiva.
Aliás, por falar nas cópias “genéricas” do Windows, a edição 16 da PnP (prestes a ser lançada) trará uma análise de várias cópias piratas que compramos nos camelôs ou baixamos da internet, junto com a explicação de como funcionam os cracks para o Windows 7.

4 - O XP ainda tem suporte da Microsoft mas... não por muito tempo
Sim, o Windows XP vai receber suporte da Microsoft até pelo menos 2014 mas apenas porque foi, de longe, o sistema operacional mais popular de todos os tempos. Mas, se você pensa em adquirir um novo computador ou fazer um bom upgrade no computador que você tem hoje, seja ele um laptop ou um micro de mesa, você provavelmente não terá bons motivos para ficar com o XP.
Ainda é possível comprar computadores com Windows XP, isto se você gostar de se arriscar com relíquias do passado. Provavelmente, aquele computador com XP ainda nas lojas tem hardware igualmente ultrapassado e incapaz de rodar os Windows lançados desde 2007, ou então aquele fabricante não está “se entendendo” com a Microsoft, o que significa “falta de suporte”. Seja como for, quando se compra um computador espera-se utilizá-lo ainda por alguns anos, e algo comprado hoje feito em cima de uma base com mais de 10 anos não é um bom indício de que vá durar muito.
5 - Os novos softwares já são de outra geração, ou “o futuro vem em 64 bits”
Já de algum tempo (desde o lançamento do Vista) os desenvolvedores de software vêm sendo empurrados para a frente, mesmo que contra sua vontade. O futuro pertence aos sistemas de 64 bits, e isto significa uma mudança de paradigma, no modo de pensar e de montar os programas. Enormes quantidades de memória podem ser utilizadas, novas formas de conexão estão disponiveis e as ameaças de segurança permeiam tudo isto. Se você não mudar seu sistema operacional, ficará de fora deste novo mundo.
Um pequeno exemplo prático: o XP de 32 bits, o mais utilizado, não reconhece mais que 3 GB de memória RAM. A maioria dos computadores novos já começa a vir com mais que isto de memória RAM, já pensando nas novas gerações de software.
6 - Melhor segurança global
Não cabe aqui discutir se o Windows 7 é o sistema operacional mais seguro do mundo, em comparação com o MacOS e o Linux. O fato é que o Windows domina nada menos que 97% dos micros ao redor do mundo, e seguramente neste universo o Windows 7 é a opção mais segura. Para ser honesto, se você roda seu micro debaixo de uma rede você estará tão seguro quanto for a infraestrutura em geral, e não apenas do seu micro em especial. Felizmente, mesmo com todos os patches, hotfixes e service packs, os sistemas operacionais do futuro (leia-se, Windows 7 e Server 2008) estarão muito melhor preparados já a partir da instalação para prevenir os vírus, invasões e infecções de todo tipo.
7 - Será que você realmente precisa fazer um upgrade? Não, mas deveria.
É preciso enfrentar as situações. Será que você prefere continuar vivendo no passado, ou seguir adiante com o futuro? A resposta é muito pessoal e para algumas pessoas o melhor mesmo é ficar onde estão. Entretanto, se você é uma pessoa dinâmica, que deseja progredir e estar antenado com as novas tendências e opções, então a hora é de mudança. É preciso estudar, atualizar-se e manter-se sempre à frente da concorrência.
8 - Sempre resta a opção da virtualização
Um dos grandes problemas da migração para o Windows 7 é a questão dos programas antigos. Muitas empresas ainda utilizam programas administrativos obsoletos mas que, para elas, ainda estão atendendo. Surpreendentemente, aqui no Brasil muitas e muitas empresas ainda são gerenciadas com programas feitos para DOS, o bom e velho DOS, de mais de 20 anos de idade, tão cheio de falhas que parece uma peneira furada. Para estes casos, programas que não rodem no Windows 7 podem confortavelmente rodar dentro de uma máquina virtual criada no Windows 7, usando soluções gratuitas como o VMWare ou o VirtualBox, aliás, já mostradas na Revista PnP nº 7 e na Revista Pnp nº 14.
Em suma: o Windows XP foi muito bom em sua época, mas agora começamos a perceber ou, ao menos, desejar, que as coisas tenham mudado bastante desde 2001. É hora de seguir adiante, não tenha medo. Por falar nisto, a edição 16 da PnP traz artigos especialmente feitos para ajudá-lo na migração do XP para o Seven, mostrando a instalação, os problemas com a ativação, teste de várias cópias piratas que compramos nos camelôs, como funcionam os cracks para o Windows 7, além de mostrarmos como contornar a falta do Outlook Express no Windows 7.

fonte: Revista PnPhttp://www.thecnica.com/
Postar um comentário