05 junho 2008

Linux - Comandos Básicos Parte I

linux

Para os iniciantes de LINUX, vou estar disponibilizando alguns comandos básicos. Isto será divídido em 5 partes. Vou tentar explicar de uma forma simples e rápida a real utilização de cada comando e junto alguns exemplos.

Comandos Básicos do Linux(1):

1) interpretação do prompt do Linux (linha de comando):

usuário-logado@máquina-logada dir. corrente]$ : usuário “não root”

usuário-logado@máquina-logada dir. corrente]# : usuário “root”

2) clear : limpa a tela.

3) Estrutura de arquivos (diretórios):

/ diretório raiz, também chamado de root, e é obrigatório

/bin arquivos executáveis do sistema em geral, utilizados pelos usuários

/boot arquivos utilizados na inicialização do sistema

/dev arquivos usados para acessar dispositivos de hardware

/etc arquivos e diretórios de configuração do sistema

/home diretórios dos usuários

/lib bibliotecas compartilhadas pelos programas do sistema e módulos do kernel

/lost+found clusters perdidos, recuperados pelo utilitário e2fsck

/mnt ponto de montagem de dispositivos (cdrom, floppy, etc)

/proc sistema de arquivos do kernel, onde os diversos programas e o kernel fazem leituras e modificações referente as configurações do sistema

/root diretório exclusivo do superusuário (root)

/sbin diretório de programas usados pelo usuário root, para administração e controle do

funcionamento do sistema

/tmp guarda arquivos temporários criados pelos programas durante a execução

/usr contém maior parte de seus programas, normalmente acessível apenas como leitura

/var contém maior parte dos arquivos que são gravados com freqüência pelos programas

do sistema, e-mails, spool de impressora, cache, logs, etc.

OBS.: Podem tornar-se partições: /, /boot, /root, /home, /lost+found, /mnt, /var, /tmp e /usr. Embora o diretório /proc possa ser aparentemente criado como uma partição independente, nunca faça isso, pois /proc existe apenas virtualmente na memória e quando colocado como partição física impede a carga do sistema. Para uma instalação completa, do Conectiva Linux por exemplo, devemos reservar no máximo 10mb para /boot. Para / sugeresse 500mb, pois ficará com folga de +- 290mb para outras aplicações. Para /usr gasta-se +- 1200mb, sendo bom deixar 1600mb como um todo reservado. Para /root e /home depende o quanto de disco pretende-se disponibilizar para o super-usuário (root) e para os demais usuários (/home). Um tamanho razoável para /lost+found e /tmp seria 100mb. Embora /mnt possa ser uma partição, recomenda-se não tomar tal medida, pois a montagem dos sistemas de arquivos é temporária e exige flexibilidade de capacidade de armazenamento.

4) Identificado os arquivos pela cor:
Em verde : arquivos executáveis
Em azul : diretórios
Em branco : arquivos

Em azul claro : atalhos

Em amarelo : dispositivos (dev à device)

Em vermelho : bibliotecas e arquivos empacotados ou compactados

5) pwd : mostra o caminho de diretórios completo de quem está logado.

6) ls : lista o conteúdo dos diretórios.

ls lista o conteúdo do diretório corrente, em colunas, sem mostar os

atributos dos arquivos listados - como dir/w (DOS).

ls –l lista o conteúdo do diretório corrente, cada arquivo em uma linha,

mostrando os atributos dos arquivos listados – como dir (DOS).

ls –l | more idem anterior, paginando.

ls –l /usr/local | more lista o diretório especificado, como ls –l, paginando.

ls –a lista o conteúdo do diretório corrente inclusive os arquivos

escondidos.

ls –lh lista o diretório exibindo o tamanho em K, M ou G

7) mkdir : cria diretórios.

mkdir [/caminho/diretório] cria um diretório no caminho especificado.

mkdir dir1 dir2 dir3 dir4 cria vários diretórios em paralelo, ao mesmo tempo.

mkdir -p dir1/dir2/dir3 cria uma árvore de diretórios.

8) cd : muda de diretório, “caminha” pelos diretórios.

cd [/caminho/diretório] caminha para o diretório pelo caminho especificado.

cd .. caminha para o diretório acima.

cd / caminha para o diretório raiz.

cd - alterna entre os dois últimos diretórios “visitados”.

cd ~user ou cd posiciona diretamente no diretório do usuário corrente.

9) rmdir [/caminho/diretório] : elimina um diretório no caminho especificado.

10) rm –r [/caminho/diretório] : elimina diretório no caminho especificado (= DELTREE do DOS).

11) touch [arquivo] : cria arquivo em branco ou atualiza a data do arquivo.

12) :> [arquivo] : cria arquivo em branco ou “zera” conteúdo do arquivo.

13) (a) cat –n [/caminho/arquivo(1) .. arquivo(n)] | more : mostra conteúdo de arquivo texto.

Obs.: {|more: faz paginar}; {-n: exibe a numeração das linhas do arquivo}

(b) cat > [arquivo] : cria ou atualiza arquivo, destruindo seu conteúdo original.

(c) cat >> [arquivo] : cria ou atualiza arquivo, preservando seu conteúdo original.

Obs.: Tanto pata cat > quanto para cat >>, usamos as teclas <CTRL> + <C> para fechar o

arquivo.

(d) cat [/caminho/arquivo(1) .. arquivo(n)] > [arquivo-destino] : concatena arquivos, de forma

que o arquivo destino terá seu conteúdo original destruído.

(e) cat [/caminho/arquivo(1) .. arquivo(n)] >> [arquivo-destino] : concatena arquivos, de forma

que o arquivo destino terá seu conteúdo original preservado.

14) more : idem ao comando cat [/caminho/arquivo] | more.

15) less : idem ao comando more, com paginação para frente (Page Down) e para trás (Page Up).

16) head : mostra linhas de um arquivo.

head [/caminho/arquivo] mostra as dez primeiras linhas de um arquivo.

head –n [/caminho/arquivo] mostra as n primeiras linhas de um arquivo.

17) file [/caminho/arquivo] : mostra o tipo de arquivo no caminho especificado.

18) Criando arquivos executáveis:

1 – criar arquivo no mcedit (qualquer nome), contendo comandos do Linux.

2 – tornar o arquivo executável: chmod +x [nome do arquivo].

3 – executar o arquivo: ./[nome do arquivo].

19) cp : copia arquivo.

cp [/caminho/arquivo1] [/caminho/arquivo2] copia arquivo do caminho origem para o

caminho destino.

OBS.: arquivo1 <> arquivo2 : copia com nome diferente.

arquivo1 = arquivo2 : copia com nome idêntico. Pode-se omitir arquivo2.

cp [/caminho/arquivo(1) .. arquivo(n)] [/caminho] copia N arquivos ao mesmo tempo.

20) rm : remove (elimina) arquivo.

rm [/caminho/arquivo] elimina o arquivo no caminho especificado

( = DEL do DOS).

rm [/caminho/arquivo(1) .. arquivo(n)] elimina N arquivos ao mesmo tempo.

21) mv : move e renomeia arquivo

mv [/caminho1/arquivo] [/caminho2] move arquivo do caminho-origem para o

caminho-destino.

mv [/caminho1/arquivo1] [/caminho1/arquivo2] renomeia arquivo1 para arquivo2.

mv [/caminho1/arquivo1] [/caminho2/arquivo2] move o arquivo, renomeando.

mv [/caminho/arquivo(1) .. arquivo(n)] [/caminho] move N arquivos do caminho-origem para o

caminho-destino.

22) Para desligar o micro:

sync à descarregar buffer de disco. à root e não root

shutdown -h 0 à desliga à root

halt à desliga à root e não root

init 0 à desliga à root

shutdown -r 0 à reboot à root

init 6 à reboot à root

reboot à reboot à root e não root

<CTRL> + <ALT> + <DEL> à reboot à root e não root

Obs.: Em shutdown –h 0 e shutdown –r 0, onde 0 significa o tempo de espera em minutos.

Quando o valor é 0 (zero), a execução é imediata.

Obs.: Quando um usuário não root executa os comandos halt ou reboot, será solicitado sua

senha pessoal.

23) adduser <nome do usuário>: adiciona um usuário

24) userdel <nome do usuário>: elimina um usuário

Obs.: se usarmos a opção –r (userdel –r <nome do usuário>), eliminaremos também o diretório do usuário.

25) passwd: atribui ou modifica a senha de um usuário (mais detalhes em Comandos Básicos 2).

passwd <nome do usário> atribui ou modifica a senha do usuário especificado.

--
Postado por Jose Carlos Oliveira no Jose Carlos Oliveira em 6/05/2008 01:10:00 PM

Postar um comentário